Objetivos da COEMA

COEMA é uma palavra de origem indígena – de base tupi – que significa “manhã” e foi escolhida como sinal de intenção de um novo começo, de uma relação mais próxima com estudantes e comunidades. A logo foi produzida pelo artista e ativista Bruno Barbi, e apresenta um conceito afrocentrado, com um coletivo de árvores baobás amanhacendo sob o sol. Os baobás são nativos do continente africano, das regiões mais secas. O tronco, em forma de cone, pode chegar a 9 metros de diâmetro e a 30 metros de altura. As folhas do baobá são comestíveis e medicinais e para as religiões de matriz africana, baobás são sagradas. Com isso, a COEMA pretende comunicar o compromisso ético e político com estudantes negres, indígenas e quilombolas, em uma perspectiva antiracista, pela igualdade étnico racial na universidade.

São objetivos da equipe COEMA:

  • Dar suporte à Direção de Ações Afirmativas e Equidade no estabelecimento de ações de enfrentamento às desigualdades étnico-raciais entre estudantes da UFSC, de forma multicampi.
  • Promover a articulação das ações de enfrentamento institucional ao racismo na universidade.
  • Contribuir para a visibilidade das diversidades étnico-raciais.
  • Promover diálogo permanente com estudantes e movimentos sociais.
  • Acompanhar as políticas para a permanência estudantil de indígenas, quilombolas, negros e negras em articulação com demais setores da UFSC.

As leis que fundamentam o trabalho da COEMA, são:

Constituição Federal Brasileira de 1988

Estatuto da Igualdade Racial 

Lei 12.711/2012

Resolução nº 052/CUn/2015

Resolução nº 145/CUn/2021